Workshop Outras Escritas para Teatro (7ª Edição): Arte, Ecologia e Activismo

Workshop
OUTRAS ESCRITAS PARA TEATRO (7ª Edição): ARTE, ECOLOGIA E ACTIVISMO
Com Maria Gil, Mónica Calle, Rita Natálio e Raquel Lima

Realização de uma formação aberta a todas as pessoas que se interessam pela escrita, pela pesquisa, pela prática e pela experimentação artísticas. O principal objectivo é a partilha de ferramentas e de metodologias para a criação de espectáculos que não partam de textos pré-escritos. Embora focado nas artes performativas, este workshop é aberto a criadores de todas as áreas e a curiosos em geral.

Em 2018, o foco do workshop será a ecologia, a arte e o activismo. As primeiras quatro sessões serão dadas por uma artista diferente, a quinta sessão será um dedicada a pesquisa individual e no último dia haverá uma apresentação aberta ao público dos materiais gerados durante o workshop.

Datas
De 5 a 10 de Novembro de 2018

Horário
20h-24h (excepto sábado, dia 10 de Novembro de 2018, 17h-24h)

Local
Lavadouro Público de Carnide, Lisboa

Segunda-feira, 5 de Novembro de 2018 – com Maria Gil
Terça-feira, 6 de Novembro de 2018 – com Rita Natálio
Quarta.feira, 7 de Novembro – com Raquel Lima
Quinta-feira, 8 de Novembro – com Mónica Calle
Sexta-feira, 9 de Novembro – Trabalho individual com coordenação de Maria Gil
Sábado, 10 de Novembro – Preparação das apresentações e apresentação final

+INFO e Inscrições
email: producao.teatrodosilencio@gmail.com
// 91 463 26 75 – Vanda Cerejo

Notas Biográficas

Maria Gil (Lisboa, 1978): cria espectáculos despojados e fundados na palavra, estabelecendo uma relação directa e próxima com os espectadores; as suas dramaturgias têm como ponto de partida premissas autobiográficas e histórias de pessoas e de lugares, que recolhe, cruza e ficciona, para construir uma poética do quotidiano. Os seus trabalhos evocam a periferia e a margem, mas também pessoas e lugares em desaparecimento. Colabora regularmente com criadores de várias áreas artísticas, nomeadamente da dança, da música, das artes visuais e do cinema. Trabalha com várias instituições públicas e privadas, concebendo, desenvolvendo, e realizando actividades e estratégias educativas que articulam a imaginação e o pensamento.

Mónica Calle (Madrid, 1966): estudou na ESTC. É encenadora, cenógrafa, actriz e directora da Casa Conveniente desde 1992. Recebe da APCT o Prémio de Melhor Interpretação Feminina, o Prémio Sete de Ouro Revelação de Teatro e Prémio Autores da SPA para Melhor Espectáculo de Teatro, entre outras menções. O seu trabalho situa-se entre a componente experimental e o texto teatral. Desenvolve formação com actores e não actores. Participou em filmes de Raul Ruíz, João Botelho e Luís Fonseca.

Raquel Lima (Lisboa, 1983): é actualmente aluna de Doutoramento do Programa Pós-Colonialismos e Cidadania Global (CES-FEUC) na Universidade de Coimbra. A sua investigação centra-se em oratura, género, subalternidades e diásporas. Colabora com o projecto ALICE – Epistemologias do Sul do CES desde 2016. É licenciada em Estudos Artísticos, com especialização em Artes Performativas, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL, 2008). Foi bolseira da 1ª edição do Programa INOV-ART, organizado pela Direcção Geral das Artes / Ministério da Cultura, no Rio de Janeiro, Brasil (2009) e bolseira Leonardo Da Vinci em Paris, França (2010) exercendo funções de produção cultural em estruturas de dança contemporânea. Em 2011 fundou a Associação Cultural Pantalassa e entre 2012 e 2017 foi coordenadora geral e directora artística do PortugalSLAM – Festival Internacional de Poesia e Performance. Publicou os seus poemas em diversas línguas e tem realizado performances e workshops em torno da poesia oral a nível nacional e internacional, destacando os workshops de poesia e género que realizou em Tartu (2013) e São Paulo (2017). Foi Gestora de Ciência e Tecnologia no Centro de Estudos Comparatistas da FLUL entre 2016 e 2018, onde actualmente é membro do projecto de investigação Feminismos e Dissidência Sexual e de Género no Sul Global do grupo CITCOM – Cidadania, Cosmopolitismo Crítico, Modernidade(s), (Pós-) Colonialismo.

Rita Natálio (Lisboa, 1983): vive entre Lisboa e São Paulo desde 2012. É atualmente doutoranda em Estudos Artísticos na FCSH-UNL e Antropologia na USP, com bolsa FCT, onde pesquisa o recente debate sobre o conceito de Antropoceno e o seu impacto sobre a redefinição disciplinar e estética das relações entre arte, política e ecologia, particularmente no caso do cinema indígena. A sua atividade principal tem-se centrado nas áreas da poesia, ensaio, dramaturgia e performance. Recentemente desenvolveu a conferência- espectáculo “Antropocenas”, uma colaboração com João dos Santos Martins, com a participação de diversos agentes das áreas da antropologia, artes visuais, dança, música. O seu primeiro livro de poesia “Artesanato” pela (não)edições, foi nomeado para o Prémio Novos 2016 em Portugal e, em 2017, publicou “Plantas humanas” com selo da mesma editora.

Data limite de inscrições
4 de Novembro 2018

Custo
80€

Link: https://www.facebook.com/events/1207140389439782/

Mais informações

Tipo

Formação

Disciplinas

Teatro

Localidade

Lisboa