Chego sempre atrasada aos funerais importantes

Quando:
12 de Janeiro, 2018@9:30 pm_10:30 pm
2018-01-12T21:30:00+00:00
2018-01-12T22:30:00+00:00
Onde:
Maria Matos Teatro Municipal
Av. Frei Miguel Contreiras 52
1700 Lisboa
Portugal
Contacto:
Maria Matos Teatro Municipal
218 438 801

“O que é o mundo quando o experimentamos a partir do dois a não do um ? O que é o mundo, examinado, praticado e vivido a partir da diferença e não a partir da identidade?”
Alain Badiou

Chego sempre tarde aos funerais importantes explora as tensões entre a narrativa do herói solitário — que deve estar sempre preparado para tudo e que se aventura no desconhecido — e os territórios onde as ideias de preparação e de heroicidade são talvez absurdas e problemáticas: o amor e a morte.
Este projeto envolve uma pesquisa em torno da iconografia do herói solitário, que é chamado a abandonar o seu mundo e partir em direção ao desconhecido, numa viagem onde enfrenta diferentes provas perigosas, ajudado por poderes mágicos. Sendo uma narrativa antiga ligada a ritos de passagem em diferentes culturas, este mito parece perpetuar-se também no imaginário e na retórica neoliberal. Esta articula-se em torno da figura do explorador livre, do aventureiro corajoso e empreendedor que se arrisca num território desconhecido e volta transformado: mais rico e feliz.

Deixa o teu Comentário