Fernando Gaspar Barros (Innovation Music Challenge) – Entrevista

O Innovation Music Challenge é um concurso de ideias dirigido à indústria da música. Com a ajuda de um júri de personalidades conhecidas, vão ser escolhidas as melhores ideias e apresentadas em Maio. Conversámos com Fernando Gaspar Barros, da organização, para saber um pouco mais sobre o evento.

Como surgiu a ideia para esta iniciativa?
Tenho acompanhado muito de perto, desde 2008, a toda esta disrupção na indústria da música e senti que havia necessidade de desenvolver algo em que juntasse vários players que contribuíssem para criar um estímulo para o desenvolvimento da massa critica em torno da música e da sua capacidade em inovar. Ao contrário de outras décadas estamos neste momento, em Portugal, ao nível de outros países: temos as mesmas plataformas, criatividade e conhecimento.

Quem são os principais destinatários deste concurso de ideias?
Todos os que amam música e que sintam motivados para escrever o futuro.

Qual o papel que os estúdios Abbey Road vão ter no evento?
Os Abbey Road Studios são um exemplo de inovação permanente, não se encostaram à sombra por serem, essencialmente, conhecidos por serem a «casa dos Beatles». Vão falar da história deles e do que estão a fazer agora, apoiar o desenvolvimento de novas ideias para a indústria da música. Foram decisivos, o ano passado, para avançarmos com o Innovation Music Challenge e vão apoiar com as ideias que forem apresentadas.

Quais os principais nomes do júri que vai apreciar as propostas?
Eu preferia não destacar ninguém em particular, são todos bons naquilo que fazem, seja o Álvaro Covões e a Roberta Medina, na organização de Festivais. O Hélio, dos Linda Martini, o Tim, Xutos & Pontapés e o Fred Ferreira, Orelha Negra. Estes nomes também são interessantes porque têm também outros projetos ligados à música, o que lhes faz ter uma visão mais holística. Temos também a Paula Homem, Presidente da Sony Music Portugal, Miguel Cadete da Blitz e muitas outras pessoas muito competentes nas suas áreas, ligados à comunicação, marketing, tecnologia, direitos de autor, direito legal e empreendedorismo.

O que está previsto para o evento de 6 de maio?
Vamos, principalmente, abordar alguns temas que nos parecem pertinentes e que podem dar um contributo muito interessante para a indústria da música. Estamos a fechar tudo para anunciar nas próximas semanas.

Em que medida é que os músicos podem tirar partido dos novos meios digitais?
Mais não seja, dá a oportunidade de estarem mais perto dos fãs, de comunicar com estes e envolvê-los, numa base diária.

Consegues prever o estado da indústria musical daqui a 5 anos?
Vamos estar em permanente mudança e se virmos bem é isso que tem acontecido pelo menos nestes trinta anos,  onde o consumo de música passou por diversos formatos como o vinyl, cassete, CD, digital e streaming. Passámos de um formato, um objecto de 30 centímetros para não haver formato. Ouvímos música em gira-discos, aparelhagens, boomboxes, walkmans, discmans, computadores, computadores portáteis e mais recentemente em tablets e smartphones. Há pouco mais de meia-dúzia de anos, o Myspace era a grande plataforma hoje já não “existe”. Esta é a história da música, permanente inovação e aquilo que hoje pode estar na “berra”, digamos, daqui a cinco anos pode ser mais uma página da história.

Sabe mais sobre o evento e inscreve-te em http://www.innovationmusicchallenge.com/
(as inscrições para participar com uma ideia terminam a 21 de Abril de 2017)

Deixa o teu Comentário