a chinesa que tomava conta da reprodução dos pandas chineses

Por Ondjaki

– Sabe onde posso encontrar os seus contos?
– Nas livrarias – disse com tom óbvio. – Não?
– Esse foi o meu raciocínio mas, como sabe, não leio chinês.
– Que línguas pode compreender?
– Português, inglês, espanhol. E, por vezes, julgo compreender a língua das
mãos e dos gestos de cada um.
Mostrou-se surpreendida e triste. Era tão nítido quanto embaraçoso o facto
de que se havia deixado invadir por uma profunda tristeza.
– Escolha – disse seriamente.
– Escolho o quê?
– Ou contos ou poesia. Um dia faço-lhe chegar aquilo que escolher – o seu
cigarro quase terminava.
– Posso não escolher agora?

ondjaki (luanda/angola). escreve para contar, e às vezes sonha poemas.
gosta de lesmas, borboletas e do sal dos sonhos.

Esta iniciativa resulta de uma parceria Coffeepaste / Prado. A Prado é uma estrutura financiada pela DGArtes / Governo de Portugal para o biénio 2020/2021.

Se quiseres apoiar o Coffeepaste, para continuarmos a fazer mais e melhor por ti e pela comunidade, vê como aqui.

Deixa o teu Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.