Oficina de Escrita Teatral com Jorge Louraço Figueira

1ª etapa: 22, 29 abril; 6 e 13 de maio: 16h-19h – Online
2ª etapa: 1, 8, 15 e 22 de julho – 16h-19h (datas previstas) – Presencial
Máximo de participantes: 10

O minicurso decorrerá ao longo de 8 sessões de 3h, em duas etapas de 4 sessões cada, num total de 24h horas de formação teórico-prática. Os formandos devem ter um assunto ou situação como ponto de partida, relacionado com o tema mais genérico “o que fazer dentro de casa”, em ligação com questões de disputa política, desigualdade económica, justiça social e discriminação cultural. O tratamento deste tema deve ser feito procurando modos de combater e compensar a desigualdade que passem pelo conteúdo, pela forma, pela matéria e pelas condições de produção.

Quanto ao trabalho propriamente dito, trabalharemos com uma ideia bastante simples, mas prática e muito produtiva, da escrita de anti-cenas, em oposição às primeiras ideias e esboços, como estratégia de desenvolvimento dos textos, de modo a fazer os alunos escreverem sempre outra coisa, mais além das propostas iniciais. Trabalharemos também a partir dos dispositivos comuns de espetacularidade, quer sejam mais toscos quer mais sofisticados, que organizam a experiência social, criando, a partir deles, anti-dispositivos. A meio e no final do curso serão apresentados todos os trabalhos produzidos nos dias anteriores.

Objectivos
— Conhecer alguns conceitos básicos da escrita para teatro: tema, contradição, figura, ação
— Conseguir esboçar e desenvolver um texto dramático a partir de um tema
— Conseguir compor uma cena teatral a partir de uma contradição
— Conseguir criticar dispositivos sociais e/ou cénicos e criar dispositivos alternativos

Bibliografia
— BENTLEY, Eric. A experiência viva do teatro. Trad. A. Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.
— FRAZÃO, F. “Dirigir o Público: desvios do campo-contracampo nos dispositivos do teatro contemporâneo.” Clara Rowland & Tom Conley (orgs.). Falso Movimento: ensaios sobre escrita e cinema. Lisboa: Cotovia, 2016.
— KELLY, Alexander. Ensinando Encenando Devising. Sinais de Cena, 2, pp. 69-71. Porto: Campo das Letras, 2004.
— SINISTERRA, José Sanchis. Prohibido Escribir Obras Maestras. Ciudad Real: Ñaque Editora/ Institut del Teatre de Barcelona,
— WOODS, James. Como Funciona a Ficção, São Paulo, Cosac & Naify, 2011.

Jorge Louraço Figueira (Nazaré, 1973) escreveu as peças À Espera de Beckett ou Quaquaquaqua, A Grande Guerra do Patoá, Xmas qd Kiseres e O Espantalho Teso. É coordenador da Pós-Graduação em Dramaturgia da ESMAE (Porto). Fez a Oficina de Escrita Teatral de Antonio Mercado no TNSJ; o Seminário Traverse Theatre, com Enda Walsh e John Tiffany, nos Artistas Unidos; a Residência Internacional do Royal Court Theatre; e o Seminário de Escrita Teatral de J. S. Sinisterra, no Teatro Nacional Dona Maria II. Foi crítico de teatro do jornal Público e dramaturgo residente no Teatrão (Coimbra). No Brasil, trabalhou com os encenadores Marco Antonio Rodrigues e Cibele Forjaz, e publicou a monografia Verás que Tudo É Verdade, sobre o grupo Folias (SP).

Data limite de inscrições
17 de abril

Local
Coimbra, Oficina Municipal do Teatro

Datas de realização
22, 29 de abril, 6 e 13 de maio, 1, 8, 15 e 22 de julho

Como inscrever-se
Ficha de inscrição disponível em http://oteatrao.com/ ou através do email info@oteatrao.com

Custo
150€ (possibilidade de pagamentos faseados)

Contactos
Telm: 912 511 302
E-mail: info@oteatrao.com

Mais informações

Tipo

Formação

Disciplinas

Escrita

Localidade

Coimbra