Residência de Criação Artística

“NO TEMPO – MORTO”
Uma experiência para resistentes e dissidentes do teatro universitário
Coordenação e encenação de Susana Vidal
Criação de textos e apoio à dramaturgia de Miguel Manso

O FATAL apresenta a sua segunda residência de criação artística. Inserida na 14.ª edição do Festival Anual de Teatro Académico de Lisboa – FATAL 2013, esta residência, a decorrer na Universidade de Lisboa de 2 de Abril a 20 de Maio, desenvolver-se-á numa colaboração entre a encenadora Susana Vidal e o poeta Miguel Manso. Destinada a estudantes universitários e a público em geral com interesse na área, a residência culminará na apresentação de um espectáculo no FATAL 2013. As inscrições já estão abertas.

“De nada nos serve ser rainhas ou princesas, super-heróis ou piratas, ganhadores ou perdedores. De nada serve olhar por baixo da minha saia e encontrar-te nu… de nada serve viver no paraíso sem culpa, sem medo, sem ódio, sem amor maldito ou sujo… de nada serve a solidão neste paraíso tão maculado como a rua, tão obscuro como os teus olhos, tão perfeito como a tua voz… Deixa-me parar o tempo.

No tempo-morto começa uma outra história, onde as princesas estão a desfazer-se e os super-heróis choram aos gritos, onde as rainhas tremem de medo e os perdedores vivem, por fim, em paz”

Aprenderemos a não fazer nada, a não ter planos, a não formatar nem limitar as coisas antes de “as abordar”. Experimentaremos métodos para deixar de ter métodos, quebraremos as técnicas e os preconceitos. Trabalharemos em condições extremas e por prazer. Voltaremos a insistir na procura do tempo morto.

Criaremos agitação sem declarar nada.

Criaremos um corpo sem tempo que nos arranque o cadáver e o pensamento.

Deixaremos de sentir os pés seguros, o corpo forte, a língua ágil e o pensamento engenhoso. Deixaremos de ser virtuosos para mostrar também o mais ridículo e vergonhoso. Defenderemos o perdedor e o fingidor, o medo e a força, a luta e a derrota. Procuraremos o corpo em desvantagem que fica no silêncio do tempo-morto. Inventaremos um espaço de eco para o outro o encher com a sua voz.

Criaremos um novo paraíso, um mundo ilusório e fantástico onde a palavra crise soará oca.

Procuraremos o paraíso, só mais uma vez, um paraíso ilusório, onde a loucura e o amor ainda sejam uma urgência para o nosso corpo em crise.

Uma criação de urgência para estes dias de fome. Susana Vidal

Susana Vidal
Encenadora, autora e actriz oriunda do teatro universitário espanhol, trabalha e reside em Lisboa desde 1997 onde é criadora independente e directora artística da B Negativo Teatro. Entre 2000 e 2008, foi, também, encenadora do GTIST (Grupo de Teatro do Instituto Superior Técnico), colectivo com quem participou em varias edições do FATAL e criou diversos espectáculos que questionaram a função e forma do teatro universitário.

Miguel Manso
Miguel Manso (1979) tem seis livros de poemas publicados, de entre eles, Contra a manhã burra (ed. de autor e Mariposa Azual, 2008), Santo Subito (ed. de autor, 2010) e, mais recentemente, Aqui podia viver gente (Primeiro Passo, 2012). Colaborou com a companhia de teatro Cão Solteiro e tem participado em leituras públicas de poesia, das quais se destaca “Quintas de Leitura”, no Teatro do Campo Alegre, Porto. Tem participado em residências artísticas e de criação literária.

Destinatários: estudantes universitários; público em geral com interesse na área.

N.º máximo de participantes: 30.

Datas e horários: de 2 de Abril a 20 de Maio de 2013; Abril 2ª, 3ª e 5ª feiras, das 16h às 19h (horário provisório; a definir posteriormente com o grupo de trabalho). Maio 2ª, 3ª, 5ª e Sábados (horário a definir); Estreia do espectáculo final: Maio 2013, no âmbito do FATAL 2013.

Preço: 40€ por pessoa.
Preço especial para estudantes universitários: 25€ por pessoa (mediante comprovativo).

Espaço de ensaio: Universidade de Lisboa (local a designar).

Informações e inscrições:
Reitoria da Universidade de Lisboa
Núcleo Cultural Departamento de Estratégia e Relações Externas

Mais informações

Tipo

Formação

Disciplinas

Teatro

Localidade

Lisboa