“encontramentos”

Por Ondjaki

(…) dentro do perturbador feitiço da explicação: era preciso cultivar o contra hábito da não-explicação;
deixar o poema e a poesia fluirem em nós
sem a corrente que faz da razão o prego e o martelo e a tempestade inútil – e a maceração;
assim, por vezes, se torna libertador e deslizável, fazer e dizer um poema sem querer explicar o mundo ou o nosso mundo ou até o mundo de alguém; dizer o poema, passar por ele como quem chega à berma de um rio que nunca tinha encontrado, e ser suave, pelo rio, pela nuvem, pela palavra, pelos modos lentos que às vezes chegam
com o nome de encontramento;
(…)

ondjaki (luanda/angola). escreve para contar, e às vezes sonha poemas.
gosta de lesmas, borboletas e do sal dos sonhos.

Esta iniciativa resulta de uma parceria Coffeepaste / Prado. A Prado é uma estrutura financiada pela DGArtes / Governo de Portugal para o biénio 2020/2021.

Se quiseres apoiar o Coffeepaste, para continuarmos a fazer mais e melhor por ti e pela comunidade, vê como aqui.

Deixa o teu Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.