quanto mais o tempo passa / mais se canta a liberdade

Por Ondjaki

está proibido brincar / inda se pode roubar / bem devagar ou já com força / podes roubar mais um bocado / se fores do lado errado: / és apanhado / pela má vontade dos que ainda nos mandam / e manda o povo / pro raio que o parta / só que o raio se partiu / na eleição vai estar / quem já te viu / as manif’s de ontem / não são as de amanhã / não te pediu dinheiro nem vinho / essa mamã / quem fala / agora não é catorzinha / é a mulher detida / na manif do dia 11 de manhã / quarenta e cinco afinal é assim?!, / vocês insistem, desavisados / confundem balas com rebuçados / nem o zé dú vos avisou? / aqui não tem bazezas / a bala dói, o mosquito mata! / não ameaça o povo com fumo de granada / não adianta nada!, e num complica: não tens idade /

quanto mais o tempo passa
mais vozes cantam a liberdade…

ondjaki (luanda/angola). escreve para contar, e às vezes sonha poemas.
gosta de lesmas, borboletas e do sal dos sonhos.

Esta iniciativa resulta de uma parceria Coffeepaste / Prado. A Prado é uma estrutura financiada pela DGArtes / Governo de Portugal para o biénio 2020/2021.

Se quiseres apoiar o Coffeepaste, para continuarmos a fazer mais e melhor por ti e pela comunidade, vê como aqui.

Deixa o teu Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.