Dois filósofos – ou mesmo três

Por Rui Zink Sempre que passo pela Alemanha, tento ir visitar um português radicado há trinta anos numa cidadezinha obscura perto de Dortmund, Altena. Mais do que amigo, o Luís é família, e é o mais divertido e o mais pícaro operário metalúrgico jamais visto na cintura industrial do aço e do carvão. Uma espécie […]

O benefício dá dúvida

Por Keli Freitas Não sei por que a coisa foi assim, mas foi assim: eu era uma criança com muita vergonha de perguntar. Intuía que a falta de certezas era algo muito malvisto, e me apavorava a ideia de que o mundo suspeitasse da vastidão de coisas que eu não era minimamente capaz de compreender. […]

quanto mais o tempo passa / mais se canta a liberdade

Por Ondjaki está proibido brincar / inda se pode roubar / bem devagar ou já com força / podes roubar mais um bocado / se fores do lado errado: / és apanhado / pela má vontade dos que ainda nos mandam / e manda o povo / pro raio que o parta / só que […]

Gabirus

Por Rui Zink Olhe lá, o que é que julga que está a fazer? Está a tirar-me uma fotografia? Desculpe lá, mas não o pode fazer. Posso andar aos caixotes, a vasculhar o lixo dos outros, e sei que já não sou nova nem ninguém me vai pedir em casamento, mas conheço os meus direitos. […]

Artistas de todo o mundo, uni-vos

Por Isabel Garcez Mesmo que Camões tenha tentado colocar Portugal noutro ponto da anatomia do continente, ao proclamar, n’Os Lusíadas: «Eis aqui se descobre a nobre Espanha[1], / Como cabeça ali de Europa toda», a verdade é que a posição anatómica que quase sempre vingou foi a da cauda continental. Também por isso, os movimentos […]

45 anos mais perto do futuro

Por Ondjaki O que me dá saudades do presidente Mujica não é o facto de ele ter andado de volkswagen e com roupas simples; o que comovia era o modo de auscultar as prioridades do seu povo, de acordo com o seu tempo e os dilemas que a (sua) sociedade enfrentava. Por aqui, é preciso […]

As moscas

Por Isabel Garcez Como sabemos, estamos num momento civilizacional em que qualquer coisa pode tornar-se famosa de um momento para o outro – ou de um like para 1.293.480 likes em menos de 15 minutos. E recentemente, se ainda fosse preciso comprová-lo, uma mosca demonstrou-nos isso mesmo. Muitos comentários, memes e afins se fizeram acerca […]

O álcool, suponho

Por Rui Zink Nem se sabe como começou a discussão. O álcool, suponho. Mas o álcool não explica tudo. Nunca vi um bêbado meter-se com alguém do seu tamanho. Bêbados, mas não parvos. E, mesmo quando a fúria os cega ao ponto de irem a casa buscar uma caçadeira, o que me espanta sempre é […]

Frankenstein e a quarta mulher

Por Patrícia Portela Estava numa conferência sobre a situação actual no Brasil, num festival literário intitulado Primavera Brasileira em março de 2018. O encontro acontecia num edifício do estado português em Paris, com o apoio de uma Fundação, também ela portuguesa mas fundada por um arménio detentor de uma fortuna graças a poços de petróleo […]

apego

Por Ondjaki (…) indagado, o homem, sobre a sua proveniência, explicou que não tinha palavras para mostrar o lugar, nem coordenadas que o soubessem localizar. convidado a explicar-se melhor, acrescentou, o que a seguir se relata: “coração-mesmo é batida gingonga tu sabes – sorriso nas bocas poucas. toda veia vizinha, todo batimento repentino, todo ataque […]